Quadro do Barulho

quinta-feira, 21 de abril de 2011

29 de março a 20 de abril - TURMA DA TARDE

A semana final de março começou com a participação da Secretaria Municipal do Trabalho em nossa sede. O clima de ansiedade dos jovens foi amenizado pela simpatia e rapidez dos funcionários. Tudo encaminhado...
Fizemos ainda uma avaliação da exploração na Casa Rosas. Algumas falas se repitiram:
"Lá tem muito movimento, muita gente pra lá e pra cá""
""Muito barulho, muitos carros"
"Quase não tem casas, é só prédio, um mais alto que o outro"
A monitoria foi muito bem avaliada. De fato, o setor educativo está afiado e sabe interagir com os jovens.
Os pontos negativos foram a não atenção de três ou quatro jovens(muita conversa paralela) e o tempo, qua acabou ficando curto e não possibilitou que andássemos mais pela avenida.

A ida à Casa das Rosas foi o início de nossa discussão a respeito de Fronteiras. O que nos faz iguais e diferentes na cidade? A Avenida Paulista é um lugar "de todos?". E no nosso pedaço, como isso funciona.
Para refletirmos um pouco essa questão, fizemos uma Cartografia do Corpo, na qual os jovens ilustraram os lugares por onde eles passam para vir a ONG e os lugares aonde costumam frequentar.

SUSAN E FLÁVIA FAZENDO A CARTOGRAFIA DE SEUS CORPOS

 Nessa conversa, o grupo teve que escolher qual seria o local a ser explorado no bairro. Como a eleição foi um pouco "desatenta", muitos jovens acabarm votando por votar, e ao chegarem ao ponto escolhido, reclamaram: "Mas é aqui?"...rs..
Sim era lá, Parque Linear do Guaratiba.Parte do grupo ficou debaixo de uma das poucas árvores que já cresceu(o parque é novo), parte foi jogar nas quadras, e os demais foram caminhar.


Na avaliação, eu trouxe o problema da votação e alertei-os de que ainda assim, aquele lugar estava cheio de "coisas para olhar""e que poucos haviam percebido.
Paralelamente a esses conteúdos, estamos dando atenção a constituição dos jovens como grupo.
Foram várias as dinâmicas e atividades que tiveram o intuito de aproximá-los e de construir uma relação de confiança.
Felizmente, nesse ponto a turma tem se mostrado extremamente séria e madura. Já rolaram problemas exta-reuniões, como namoros desfeitos, brigas e desacertos, mas na hora de trabalhar, estão todos muito unidos.
Nas últimas semanas, propusemos ao grupo uma produção mais elaborada, cujo tema seria A História do Bairro. Para tanto, nos inspiramos em uma pesquisa sobre locais específicos e no filme "Narradores de Javé". Do memo modo, a exploração que fizemos à Vila Maria Zélia foi fundamental para a compreensão da proposta e dessa ponte entre passado e presente que tem tudoa ver com essa leitura da cidade.


KAROL, VALDEIR E ANDRÉ OUVINDO  MORADORES DA VILA.

As idéias iniciais envolvem vídeos e teatro, mas ainda estão sendo construídas e aparecerão na próxima postagem.





Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir